Como pagar INSS autônomo em 2016

Há duas formas de pagar o INSS como autônomo. Uma é através do plano normal, outra através do simplificado.

/Através do plano normal a contribuição é a seguinte:

20% sobre a sua remuneração (sendo que o mínimo da remuneração é de R$ 880,00 e o máximo é de R$5.189,84).

Qual a diferença entre recolher como Autônomo pelo plano NORMAL e recolher pelo plano SIMPLIFICADO?

 

 

Publicado em Categorias Valores - PrevidênciaTags , , , , , , , ,

11 pensamentos em “Como pagar INSS autônomo em 2016”

  1. QUERIA SABE SE O INSS ALMENTOU ES ANO ,EU PAGO 86,76,E ULTIMA PARCELA ESTE MSM COMO EU FAÇO PR MUDAR O VALOR TENHO Q IR N PREVIDENCIA

  2. Sempre trabalhei até os meus vinte anos na roça, depois concluir o magistério e em 2003 comecei a dar aula mas não tive carteira assinada só contrato. Ai em 2009 tive minha carteira assinada depois continuei dando aula mas sem contrato atualmente estou contratado pela prefeitura como saber se já contribuir alguma vez? se já como continuar a partir daí?

  3. Eu quero saber como faço para conseguir pagar o INSS com autônoma eu já contribui um tempo atrás como empregada doméstica mas tem um tempo eu quero saber como eu faço pra saber mais informações sobre as normas de 2016?

  4. se eu quero pagar R$ 45.00 mensais para previdência social avulso que salário que eu devo ganhar avulso para depositar essa quantia por mês é só uma dúvida que eu quero tirar obrigado

  5. Qual dia correto para pagar meu inss autômato, o valor é 176,00.E dia 05 ou 07 de cada mês. Com os bancos em greve as loterias estão cheias e a Internet delas caí ou fica lenta.

    1. Contribuintes Pessoa Física

      Contribuinte Individual, o Facultativo e o Segurado Especial
      Deverão efetuar o recolhimento da contribuição até o dia 15 do mês seguinte àquele a que se refere a contribuição. Por exemplo, a contribuição referente ao mês de janeiro deverá ser paga até o dia 15 de fevereiro.

      O Empregado doméstico
      Deve ter o recolhimento da sua contribuição efetuado até o dia 7 do mês seguinte àquele a que se refere a contribuição. Por exemplo, a contribuição referente ao mês de janeiro deverá ser paga até o dia 7 de fevereiro.

      Parte da contribuição é paga pelo empregador, e parte pelo empregado. Se necessário, confira os percentuais devidos pelo empregado e pelo empregador.

      Caso não haja expediente bancário na data do vencimento, o pagamento poderá ser prorrogado para o dia útil imediatamente posterior.

      A contribuição incidente sobre o 13º salário do Empregado Doméstico, deverá ocorrer até o dia 20 de dezembro, devendo ser antecipado para o dia útil imediatamente anterior, caso não haja expediente bancário.

  6. sou funcionaria publica gostaria de saber como faço para tirar uma licença e pagar meu INSS, não quero prejudicar minha aposentadoria que falta 3 anos.

    1. Sua situação está amparada pelo seguinte dispositivo da LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 se você for servidora federal. Provavelmente sua legislação estadual ou municipal também segue essa diretriz.

      Art. 183. A União manterá Plano de Seguridade Social para o servidor e sua família.

      § 3o Será assegurada ao servidor licenciado ou afastado sem remuneração a manutenção da vinculação ao regime do Plano de Seguridade Social do Servidor Público, mediante o recolhimento mensal da respectiva contribuição, no mesmo percentual devido pelos servidores em atividade, incidente sobre a remuneração total do cargo a que faz jus no exercício de suas atribuições, computando-se, para esse efeito, inclusive, as vantagens pessoais. (Incluído pela Lei nº 10.667, de 14.5.2003)

      § 4o O recolhimento de que trata o § 3o deve ser efetuado até o segundo dia útil após a data do pagamento das remunerações dos servidores públicos, aplicando-se os procedimentos de cobrança e execução dos tributos federais quando não recolhidas na data de vencimento. (Incluído pela Lei nº 10.667, de 14.5.2003)

      ————————-
      Por sua vez, a INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/PRES Nº 77, DE 21 DE JANEIRO DE 2015 – DOU DE 22/01/2015 – estabelece o seguinte:

      § 5º É vedada a filiação como segurado facultativo no RGPS para os participantes do RPPS, não podendo ser consideradas, para qualquer efeito, as contribuições vertidas para o RGPS do:

      I – servidor público civil ou militar da União, do Estado, do Distrito Federal ou do Município, bem como o das respectivas autarquias e fundações, sujeito a regime próprio de previdência social, inclusive aquele que sofreu alteração de regime jurídico, no período de 6 de março de 1997, data da publicação do RBPS, aprovado pelo Decreto nº 2.172, de 5 de março de 1997, véspera da vigência da Emenda Constitucional nº 20, de 1998, exceto o que acompanha cônjuge que presta serviço no exterior;
      II – servidor público civil da União, do Estado, do Distrito Federal ou do Município, bem como o das respectivas autarquias e fundações salvo na hipótese de afastamento sem vencimento e desde que não permitida, nesta condição, contribuição ao respectivo regime próprio a partir de 16 de dezembro de 1998, data da publicação da Emenda Constitucional nº 20, de 1998; e
      III – servidor público efetivo civil da União, de suas respectivas Autarquias ou Fundações, participante de RPPS, inclusive na hipótese de afastamento sem vencimentos, a partir de 15 de maio de 2003, data da publicação da Lei nº 10.667, de 14 de maio de 2003.

      Portanto, se não houver previsão no seu regulamento específico (no caso de servidora estadual ou municipal), estaria permitido o recolhimento como facultativa ao INSS. Como o assunto é complexo seria útil fazer uma consulta formal ao órgão regulador do seu regime de previdência ou buscar auxílio profissional de advogado ou defensoria pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *